Quase 30

Mah / 16 nov,2016 /ETC

Eu trabalho com o Facebook aberto o dia todo. Sim, admito que isso contribui para a minha procrastinação, mas também faz com que eu pense e repense diversas coisas.

Uma delas é que: estou com quase trinta anos e o que fiz da vida? Tenho 27, não estou desesperada nem nada, mas sinto que começa a bater uma coisa estranha… como explicar? Olho meu feed e vejo meninas que estudaram comigo com dois filhos, vejo crianças que eu vi nascer com dez anos de idade, vejo a vida fluindo.

Estranho não? Parece que a vida acontece e você não percebe! Talvez porque na minha cabeça dez anos não quer dizer nada e eu continuo com o pensamento igual. Porém AS PESSOAS QUE NASCERAM EM 96 JÁ TEM VINTE ANOS! O que está acontecendo Brasil? hahaha

Indo para a parte séria, o que se espera de uma pessoa com 20 e poucos anos? Relacionamento estável, imóvel, carro, talvez casamento, filhos, viagens por diversos países, emprego fixo… E se a gente não quiser nada disso? “AAAAhhh mas você namora há tanto tempo, não vai casar não?”, “Eu com a sua idade já tinha dois filhos e o meu apartamento”, “Já viajei por 20 países e você? Só na América Latina? Precisa conhecer o mundo!”. Já perceberam que existe pressão de todos os lados para você ser bem sucedido? Para você ter pintado e bordado antes mesmo dos trinta anos de idade? Você ter o maior múmero de experiências possíveis e imagináveis em dez décadas para contar na roda de “amigos”?

O número de likes na sua foto, o número de compartilhamentos do seu vídeo, as suas conquistas aos 25 anos, a relevância que você tem na rede. Tudo te pressiona para fazer este sucesso digital e também analógico.

Será que tudo isso não é apenas para “A REDE”? E se um dia tudo isso acaba? Como fica se não pudermos mais compartilhar nossas conquistas na rede? Sua conquista fará sentido? Se não tivermos mais Insta, Face, Snap nem nada para tirar foto produzida, para mostrar os lugares que conhecemos, para simular a vida perfeita?

É nisso que penso. Se tudo que eu busco, se tudo que eu vivo fará sentido sem ninguém assistir. Se a minha vida fará sentido sem ninguém assistir. Aí, tudo me leva a crer que: EU FIZ MUITA COISA DA VIDA! <3

Estes quase trinta estão bem vividos e com muita bagagem que eu me orgulho para contar. Cada um tem o seu ambiente, a sua vida e o seu mundo. Não foque nas vidas editadas da rede. Como eu acabei de dizer: são EDITADAS!

Beijos
Mah

Postado em ETC

5 thoughts on “Quase 30

  1. É por isso que me afastei do Facebook. Para viver um pouco, comecei a perceber que as pessoas preenchem sua linha do tempo com palavras e fotos que muitas vezes não condiz com sua realidade. E se te pega em um dia ruim, você pode ter a falua sensação de que na sua vida nada acontece… entende?
    Resumindo de redes sociais resolvo ficar somente com o insta por que adoro fotos. E acredito que devemos nos cercar de pessoas positivas lá eu consigo fazer isso (sem ter de ser amigo de alguém por educação).

    Bom é isso,não só eu como muita gente fica feliz de você ter voltado pro blog. (Foi a primeira vez que comentei aqui…hehehe)#crieicoragem

  2. Amei seu texto! Super me identifiquei. Falta pouco pra completar 30 anos (meses rs) e a pressão é imensa por ainda não ter casado, ainda não ter filhos e fazer tudo que as pessoas acham que eu devo. mas to feliz da vida com a minha vida e minhas escolhas até hoje. Acredito que quando tiver que ser (casar, filhos…), será.
    Bjus Mah.

  3. Eu também me faço as mesmas perguntas.Eu deveria querer viajar para a Europa. Eu deveria querer … Mas, por quê? O inconsciente do facebook faz humanos muito obedientes.

  4. As consequências dessa vida editada é que tem levado muitas pessoas a terapia, quem consegue alias não são todos que podem buscar ajuda fora. Tema também abordado na série Black Mirror, muito recorrente. Adorei a reflexão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome *