Um amor puro, não sabe a força que tem…

Mah / 10 out,2013 /ETC

Toda vez que eu penso na minha Mell o coração se enche de alegria, dá vontade de voltar pra casa e apertar meu Fedô até não poder mais. Mell Fidelis (sim, ela tem sobrenome) nasceu em março de 2003 e chegou por aqui em maio, como presente de Dia das Mães para a minha mãe. Minha avó materna faleceu no ano anterior e a minha mãe não estava trabalhando na época. Meu pai trabalhava o dia inteiro, eu e minha irmã estudávamos e ela ficava em casa sozinha. Mell chegou como uma companheira para mamãe e desde o começo soube que era dela, tanto que se está com alguma dor ou fome vai atrás da mamãe para pedir.

Ela não demorou nada para aprender a fazer xixi no lugar certo, só demorou a latir. A gente até achava que ela era muda porque não latia por nada neste mundo. Um dia resolvemos irritá-la, para ver se dava certo…. só sei que depois de muito tempo ela deu uma latidinha toda desafinada e foi a alegria da casa! =D

Mell está presente em todos os momentos de nossas vidas. Em 2010 meu pai teve um AVC e ficou internado durante um mês. Neste um mês nós filmávamos a Mell e levávamos para o papai no hospital. Todos os dias que eu chegava em casa ela ficava na porta esperando o papai chegar. Quando finalmente ele voltou a gente sentiu a emoção que a Mell sentia!  Além disso o meu pai precisava de fisioterapia, movimentar o lado direito do corpo que foi afetado. Adivinha quem sempre estava por perto quando ele fazia a fisio? Quem enfiava a cabeça embaixo da mão direita dele pedindo carinho? Ela ajudou e muito na recuperação do meu pai!

Ao mesmo tempo que precisamos da Mell, ela precisa da gente. Em 2007 teve problema de coluna e não movimentava as patinhas traseiras. Foi um bom tempo de tratamento e remédios para ela melhorar. Em 2011 ela comeu um bicho e ficou toda inchada, lá vamos nós correr para o veterinário. Este ano apareceu um tumor na mama dela e lá estávamos nós no veterinário, na cirurgia e no pós operatório. Castração, ração, roupinhas, cobertores, carinho e mais carinho. A Mell faz parte da casa, é a terceira filha da minha mãe (não é a toa que o nome dela começa com a letra M, perceberam? Monalisa, Maraisa e Mell. hahahha), é praticamente uma pessoa pela qual a gente faz TUDO.

Mas por que esta história da Mell? Porque eu aceitei participar de uma blogagem coletiva sobre a guarda responsável, sem receber nada por isso. Sou uma pessoa que ama animais, principalmente cachorros. E infelizmente, em datas como Dia das Crianças e Natal, muitas pessoas resolvem dar um animal “de presente”. Acontece que com este presente vem muuuuuitas coisas que diversas pessoas não imaginam! Como eu disse, o animal faz parte da família e exige cuidados como vacinação, ida periódica ao veterinário, alimentação adequada, higiene….

Sabiam que muitos dos animais abandonados na rua são frutos de uma guarda irresponsável? Sim! A pessoa tem o animal e depois o larga por aí, quando percebe o trabalho que ele dá, quando ele faz algo que a pessoa não gosta, ou mesmo quando fica velhinho. Mell está hoje com 10 anos e percebemos que aumentamos a frequência no veterinário, mas faz parte! Não quero nem pensar que um dia a perderei, mas ela sabe que nós estaremos ao lado dela até o fim, fazendo o possível e o impossível pela sua saúde e felicidade.

Além da guarda responsável, é importante frisar a importância da adoção. Animais, muitas vezes mal tratados, esperam um lar para receber amor e atenção. Depois que a Mell chegou aqui em casa, eu já quis adotar outros cachorros, mas moro em apartamento e não tenho espaço. =/
Mas, podemos ajudar algumas ONG’s! A marca de rações Max Alimentos tem um programa chamado Max em Ação. Em cada pacote de ração da marca a gente encontra um vale ração que podemos doar para a ONG que quisermos ou depositar nos pet shops cadastrados. Confesso que nunca comprei ração da Max para a minha Mellzinha, mas depois de saber disso, vou passar a comprar!

Para finalizar: 1. Amo a primeira foto que postei! Ela está olhando para a câmera comigooooo! 2. O título do post é música Um amor puro do Djavan, acho que ela traduz em muitos momentos o amor incondicional que a Mell tem por nós.

Beijos
Mah

Postado em ETC

16 thoughts on “Um amor puro, não sabe a força que tem…

  1. Oi Mah!
    Sempre leio seu blog, mas nunca comentei aqui.
    Linda a Mell, lindo o post! Eu amo cachorro, realmente eles nos oferecem um amor incondicional!

    Beijos

    1. Oieee! Comente mais vezes! huhuhuhhu
      A Mell é o meu amor! E ela tem personalidade forte pra caramba! Faz o que bem entende quando bem entende, parece eu! AHhAhAAHhA
      Beijos

  2. AMEI!!!

    Sou louca pelas minhas pequenas e já tive um cachorro grande que passou a infância inteira comigo. foi muito duro perdê-lo.
    Sou apaixonada por animais. Deus é o máximo mesmo, só ele pra criar seres tão maravilhosos, companheiros e amorosos.
    Quantas vezes eu estava triste e uma das duas ou as duas estavam lá pra ficar do meu lado, me dar um carinho…é de se emocionar mesmo!

    Beijos.

  3. A Mell é maravilhosa e muito fotogênica, adorei a foto dela com fone de pelúcia, tb tenho 2 meninas uma Boxer e uma SDR, só conhecemos o amor verdadeiro quando temos um cão, e quero te parabenizar pela campanha, pq não é muito triste ver um cão abandonado.

  4. Ai que lindo, realmente é muita responsa! Pq dá muuuito trabalho… eu tenho 2 pinchers e moro num apê, de vez em quando o castigo é inevitável haha
    mas não tem nada mais lindo, nenhum amor mais puro que o deles, só o que eles pedem em troca é carinho *_*

    AMEEEI seu blog ! Conheci hj mesmo pelo blog da Ká e estou aquii vendo todos posts antigos hahah

    Beijoos

  5. Olá,
    Primeiro dizer que seu blog é lindo, depois parabeniza-la por esse post animais de estimação são ótimos mas neles vem embutidos uma série de responsabilidades, Jujuba é o amor da minha vida (mais até que o marido…. Que ele não ouça kkkk) uma vira lata sem vergonha, extremamente amorosa que adotamos com 18 dias, hj somos voluntários no abrigo que adotamos e lá constatamos diariamente o abandono por diversos motivos, seja viagens, gravidez (acredita nisso?), espaço….. Enfim….. Ter um bichinho é muito bom mas certifiquem-se que estarão preparados para cuidar de todos os fatores que envolvem um animal pq ter e depois devolver ou abandonar é uma crueldade sem fim com o animalizando….. E mais uma coisa adotar é tudo de bom. Bjos

    1. Oie, muito obrigada pelo carinho e pelo seu comentário!
      Confesso que eu não tenho estrutura emocional para vivenciar o dia de um abrigo como voluntária. Eu ficaria chorando o dia inteiro =( Mas, da maneira que posso, sempre ajudo porque AMO cachorros!
      Beijos e mais uma vez, OBRIGADA pelo comentário! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome *